Rede Missionária Cristã.
♥ ATENÇÃO! ♥Participe do projeto 📖 leitura da bíblia em 4 meses 👉Clique Aqui!

God's News

Adsense - Home

Ad Topo das postagens

Curso de Teologia

sexta-feira

Os 4 Segredos do Profeta Elias

10:10:00
Os 4 Segredos do Profeta Elias | Rede Missionária Cristã

Elias: Um Profeta de Coragem e Confrontação

A
s páginas de nossa Bíblia são preenchidas com histórias de homens que parecem espiritualmente muito maiores do que a vida comum. Pessoas como Moisés, Josué, Davi, Daniel, Paulo e outros tantos, que parecem serem personagens muito acima da média em espiritualidade, dando-nos a impressão de que nunca poderemos ser como eles. No entanto, vou revelar agora um segredo para você: todas essas pessoas eram apenas isso: pessoas! E Elias, o profeta de nossa reflexão hoje, não é diferente.

Quando lemos sobre a vida e o ministério do profeta Elias, normalmente ficamos muito impressionado com sua coragem e poder em conexão com Deus. No entanto, a Palavra de Deus nos lembra que Elias “era um homem sujeito as mesmas paixões que nós”. (Tiago 5:17) A única e grande diferença entre Elias e muitos supostos crentes de hoje, é que Elias era um homem que andava em VERDADEIRA humildade e obediência perante Deus.

O Profeta Elias era Um Homem Comum

A história do profeta Elias em (1 Reis 17) inicia dizendo que ele era de um lugar chamado Tisbita na região conhecida como Gileade, uma região de altos picos e vales profundos. O próprio nome em sua forma hebraica significa “pedregoso, acidentado”, além de admitir outras traduções como montanha do testemunho e grande testemunho, sugerindo assim a fundamental importância de testemunhar as bençãos divinas e as boas novas contidas nas palavras do Senhor.
Os 4 Segredos do Profeta Elia
E isto nos revela um pouco de como era o homem Elias. Quando ele entra em cena e começa o seu ministério, seus métodos, seus maneirismos e sua mensagem eram tão dura e elevada quanto o lugar a qual ele vivia. Evidentemente, também o modo de Elias se vestir sugere que ele era um tipo de eremita ou ermitão morador das montanhas (2 Reis 1:8). Sua humanidade, no entanto, nos é revelada com precisão no livro de Tiago 5: 17-18, onde fica claro que ele era um mero mortal.

A ênfase aqui é que o Senhor não está procurando por gigantes espirituais para usar em sua obra. Ele está simplesmente procurando pessoas assim como Elias que obedecerão prontamente a Sua Palavra. Elias era um homem desconhecido e solitário, até ele entrar em cena na presença do rei Acabe. Elias não era uma pessoa de excepcional educação mas um homem de temperamento forte e propenso a ataques de depressão. No entanto, mesmo assim ele foi escolhido por Deus para fazer Sua vontade e levar Sua mensagem a uma nação rebelde.


O Profeta Elias era Um Homem Corajoso

Elias desafiou o rei de Israel; de acordo com a Bíblia, Acabe foi o rei mais perverso de Israel. Além disso, ele era casado com uma mulher miserável, chamada Jezabel filha do rei de Zidon, ardentes adoradores de Baal. Este casamento por si só, já era uma ofensa ao Senhor, (1 Reis 16:31). Mas Acabe fez mais, induzido por sua esposa Jezabel ele introduziu a adoração de Baal aos israelitas E levantou um altar a Baal, em Samaria (1 Reis 16:32). Isso produziu um estado de coisas em Israel, onde as pessoas perderam todo o respeito pelos mandamentos de Deus.

No entanto, foi a este rei que Deus enviou o profeta Elias, que entrou diretamente na presença do rei Acabe e entregou a mensagem do Senhor sem nem um tipo de intimidação. Ele disse a Acabe que não haveria chuva nem orvalho até que ele dissesse que haveria. Foi preciso coragem para desafiar a um rei perverso e iníquo, claramente hostil ao Deus Todo Poderoso! Mas Elias corajosamente denunciou a falsa religião em um ataque direto ao culto de Baal o deus cananeu da fertilidade.

Quando Elias fez seu anúncio, ele estava declarando guerra a Baal. Foi preciso muita coragem para se levantar diante do rei, principal promotor dessa falsa religião em Israel e dizer: “Meu Deus é maior do que Baal! E para provar isso, não haverá chuva até eu dizer que haverá. E não há nada que você, Jezabel ou Baal possa fazer sobre isso!” imagine como eles riram e zombaram dele? Essa é uma espécie de coragem quase que extinta em nossos dias.

Esse é o tipo de coragem derivada do tempo gasto com Deus e da indignação ao pecado. Este é o tipo de coragem que defende o que muitos chamam de ridículo. É o tipo de coragem que protesta contra temas espinhosos como o aborto, a agenda homossexual, o fim das liberdades religiosas, etc. Este é o tipo de coragem que faz a diferença para Deus nestes dias de autoindulgência. É o tipo de coragem que diz: “Eu serei diferente, independentemente do custo eu ficarei com Deus e com sua palavra!”

Elias era Um Homem Comprometido

Como o significado do seu próprio nome “Meu Deus é Jeová”; já sugere, o profeta Elias era um homem comprometido com Deus. Seu nome nos diz que ele tinha um relacionamento pessoal com Deus, e este é o primeiro e crucial passo para se fazer qualquer coisa para a obra de Deus. Até que você o conheça, você não pode servir a ele! E a única maneira de conhecer o Senhor Deus hoje, é através de Seu Filho Jesus Cristo, João 14: 6; Atos 16:31.

Ao entrar na presença de Acabe e Jezabel em nome de Jeová, Elias não só demonstrou o seu comprometimento com Deus, em sua vida e ministério, mas também sua total dependência ao Senhor. Ele não confiava no braço da carne, mas estava confiante nos braços do eterno pela fé. Há uma enorme diferença! Este é o segredo do sucesso para os filhos de Deus que vive em um mundo perverso. Somente quando somos totalmente comprometidos e dependentes de Deus pela fé, é que teremos uma aliança com o sucesso.

Você percebe; há uma coisa crucial que devemos ter para honrar a Deus: A nossa fé, “…Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam…” (Hebreus 11:6) Portanto amados, devemos entregar todos os nossos medos nas mãos do Senhor e descansar totalmente na providência divina, chegar ao lugar onde paramos de tentar e realmente começar a confiar em Deus para atender às nossas necessidades. Essa é a atitude de compromisso total onde Deus pode abençoar e usar uma pessoa.


O Profeta Elias Confiava em Deus
O Profeta Elias confiava integralmente em Deus, ele acreditava em um Deus que estava e ainda está vivo. Ele disse: “como o Senhor Deus de Israel vive”. A maioria das pessoas hoje em dia vive como se Deus estivesse morto ou dormindo, ou como se Ele não agisse mais como fez no passado na vida de Elias. Precisamos urgentemente que se levante pessoas como Elias dizendo: “O mundo pode viver como se Deus estivesse morto, mas Ele está vivo em mim”. Esta era a situação do profeta, Deus habitava em seu coração e quando Deus habita em você, você simplesmente não consegue manter-se calado diante dos modernos acabes e jezabeis.

O profeta Elias confiava no poder de Deus, e o mesmo Deus de Elias esta vivo hoje, olhe, por exemplo, para Tiago 5:17-18. A partir desses versículos parece que a ideia da seca e falta de chuva partiu do próprio Elias. Aparentemente, ele estava tão chateado com os pecados das pessoas que ele começou a orar, para que não chovesse. Claro, que essa ideia não partiu simplesmente dele, mas foi colocada em seu coração pelo Espírito de Deus. Ao orar, ele recebeu a certeza de que esta era, de fato, a vontade do Senhor. Então, ele apenas se aproximou de Acabe e disse que não choveria. Ele acreditava servir um Deus poderoso capaz de fazer qualquer coisa!

Uma das tragédias da igreja moderna é a falta de fé na capacidade de Deus. Eu só quero lembrá-lo que servimos um Deus que pode fazer qualquer coisa. Ele pode atender a qualquer necessidade. Ele pode curar qualquer doença. Ele pode impedir que qualquer coisa aconteça. Ele pode fazer com que algo aconteça. Ele é Deus e Ele é todo poderoso! Nada é difícil para Ele, Gen. 18:14!
Deus nos ajude a não nos deixar viver como se Ele estivesse morto ou de férias. Deus nos ajude a lembrar que Ele é Deus todo o tempo, em todas as situações, independentemente do que enfrentamos na vida. Quando estamos lutando contra o pecado: Ele é Deus! Quando precisamos: Ele é Deus! Quando estamos lutando contra Satanás e suas atividades: Ele é Deus! Ele é Deus o tempo todo! Nunca esqueça isso! O que Ele fez para Elias, Ele pode fazer por você e por mim. Nós apenas temos que confiar em Sua palavra, poder e habilidade.

Outro fato muito importante na vitória do profeta Elias, é que ele acreditava nas promessas de Deus. Este homem estava diante de Acabe porque tinha recebido uma palavra de Deus sobre este assunto. Elias acreditava plenamente na palavra de Deus, ou seja, quando Deus dizia que algo aconteceria, isso com toda certeza aconteceria. Deus nunca, nunca, nunca mesmo se afastará de uma única promessa que Ele fez ao Seu povo. Se Ele fez uma promessa, esta promessa será cumprida (Rom 4:21; Hb. 6:18).

Elias tocou em um vespeiro quando fez seu anúncio diante do rei Acabe. No entanto, ele ficou de pé e fez o que Deus lhe disse para fazer. Elias era um homem enviado de Deus. Ele foi enviado a um povo perverso para declarar que o julgamento Deus estava a caminho. Ele não tinha medo de falar e expor os males do seu dia. Ele não teve medo de viver pela fé. Ele não teve medo de colocar sua própria vida na mão de Deus.

Portanto hoje eu me pergunto: Quantos de nós somos como Elias hoje? Quantos de nós confiamos plenamente que Deus tudo pode? Quantos de nós estamos verdadeiramente assumindo uma posição para com Deus no meio deste mundo perverso? Sem duvida nenhuma precisamos de outros Elias em nossos dias. Deus não mudou. Mas onde estão os novos Elias?
 

Continuar Lendo...

sábado

O significado de Egito segundo a bíblia

15:05:00
O significado de Egito segundo a bíblia | Rede Missionária Cristã

O Poder do Simbólico Egito Espiritual

Q
uem já estudou teologia, sabe que uma das mais importantes ciências do estudo da Bíblia é a matéria conhecido como “hermenêutica”. Esta palavra se refere a ciência da interpretação bíblica. Dentro da hermenêutica, existem alguns princípios que devem ser aplicados para determinar o significado adequado de um texto. Um desses princípios é o “princípio da primeira menção”. Basicamente este princípio afirma que: dependendo da forma que um determinado assunto foi mencionado pela primeira vez na Bíblia pode determina o seu uso para toda o restante dela.

Se aplicarmos o princípio da primeira menção à terra do Egito em nosso estudo de hoje, sobre o poder do Egito espiritual, devemos então voltar para Gênesis 12:10-20. Nesses breves versos da bíblia, vemos que Abraão pressionado pela fome, ignora a palavra de Deus e desce para o Egito, consequentemente, sofre alguns reveses muito negativos. Portanto, aqui começa o significado do Egito segundo a bíblia, ou seja, a primeira vez que o Egito é mencionado na Bíblia, é mencionado dentro de um contexto negativo. Isso marca o tom de como o Egito deve ser visto por toda a Bíblia.

Na verdade dentro do contexto espiritual, a terra do Egito é simbolicamente um tipo de mundo. Isto claramente podemos notar na maneira como o Egito tratava o povo de Deus, mantendo-os na escravidão, dominando com tirania e crueldade e levando-os à morte (Êxodo 1: 7-14). Já com isso em mente, fica mais fácil de notar o influente poder de escravidão ou de perseguição que o Egito teve sobre a vida de todos os santos da Bíblia. E, mesmo depois de terem sido libertados da terrível escravidão naquela terra, os filhos de Israel em qualquer pequena dificuldade desejavam retornar ao Egito.

Claro que antes de emitirmos qualquer tipo de julgamento precipitado ao olharmos para pessoas como Abraão, Jacó, etc. Talvez devêssemos admitir o fato de que nós também experimentamos uma certa e estranha atração ao nosso simbólico Egito, o mundo. Na verdade, infelizmente muitas pessoas que se dizem cristã hoje em dia, gastam uma quantidade significativa de suas vidas, quer olhando para o Egito, ou lá já vivendo integralmente.

Independente disso, o meu propósito aqui com este artigo não é criticar ou julgar ninguém; mas sim usar as experiências dos Israelitas com o Egito e demonstrar alguns parâmetros de como é possível sim superar o forte apelo e poder do simbólico Egito espiritual.

Tenha total certeza que nos como povo de Deus hoje, não precisamos viver vidas espirituais derrotadas, frias e carnais. Podemos, pela graça de Deus, andar em vitória e poder. Os pensamentos que quero compartilhar com você logo abaixo nos dirão claramente como isso é possível.


O que o Egito Representa ao Povo de Deus Hoje?

1 – A dor da dominação – (Êxodo 1:10-22;11:1-14) À medida da dor e o sofrimento suportado pelos israelitas que a Bíblia menciona, é para nos hoje quase inimagináveis. Logo esta é uma imagem vivida a escravidão suportada por aqueles que são cativos deste sistema mundial ou simbólico Egito espiritual, mas “…Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência, entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza, filhos da ira, como também os demais…” (Efésios 2:1-3). Ou seja, estar fora da vontade de Deus nunca deve ser visto como uma viagem de prazer. É um tempo de severa escravidão, escuridão e tristeza.

2 – A progressão da dominação – (Êxodo 5:5-19) Mesmo após vários anos de escravidão; Israel crescia em número tornando seus filhos e netos escravos também. Este é sempre o caminho com aqueles presos ao simbólico Egito espiritual. Suas atrações se fortalecem ao longo do tempo. Seus vícios se fortalecem ao longo do tempo. Eles se encontram mais profundamente enraizados no mundo deixando de educar seus filhos na verdade de Cristo levando-os consequentemente também a escravidão.

3 – O Amor de Deus em meio a Dominação – (Êxodo. 2:1-10) Então estando eles ainda na escravidão, Deus se compadece do povo e um redentor nasce no meio deles. Eles, assim como muitos presos no simbólico Egito espiritual de hoje não notaram aquele momento, mas um tipo de Cristo se levantou para liberá-los da escravidão. Note você também que foi a este mundo onde muitos hoje são escravos do pecado que Deus enviou Seu Filho querido para nascer, viver e morrer pela humanidade. Poucos também reconheceram ou o receberam quando Ele fez Sua primeira aparição, João 1:11, mas o que Ele realizou enquanto esteve neste simbólico Egito espiritual quebrou os grilhões do pecado para todos aqueles que mesmo hoje, confiam nele através da fé, Lucas 4:18.

Um Plano de Libertação Espiritual

O plano de Deus para libertar Israel era mais antigo que Moisés. De fato, alguns dos detalhes desse plano foram revelados ao seu servo Abraão centenas de anos antes (Gn. 15:13-14). Na verdade muitos anos antes do nascimento de Moisés, Deus determinou como e quando Ele libertaria Israel desta dura escravidão. Quando porém chegou o tempo de Moisés, Deus colocou Seu plano em ação. Era um plano onde exigia-se fé e obediência, mas era um plano destinado ao sucesso.

Semelhantemente assim também foi o plano de Deus para a nossa salvação e libertação da escravidão do pecado, não era um simples plano B. Mas sim um plano pensado e arquitetado muito antes da fundação do mundo, um plano concebido lá no céu, um plano igualmente também destinado ao sucesso, um plano para salvar os pecadores perdidos e libertá-los do terrível poder do simbólico Egito espiritual.

Os detalhes deste plano foram revelados pouco a pouco aos profetas ao longo do tempo, mas foi finalmente completado em uma colina chamada de Gólgota ou Calvário, foi quando Jesus Cristo entregou Sua vida e derramou Seu sangue para nos redimir. É um plano que também exige de nós fé e obediência, (Ef. 2:8-9, Atos 16:31); mas é um plano que funcionará para todos os que o recebem como seus corações quebrantado.

Os Israelitas foram libertos pelo poder de Deus, que desencadeou Sua ira contra o Egito e demonstrou ao povo uma tremenda demonstração de Seu poder (Ex. 5:13). Ele os redimiu pelo exercício de Sua grande habilidade. Da mesma forma a nossa salvação não ocorre por meio do raciocínio humano, da bondade humana ou das ações humanas. A nossa salvação é uma obra do Deus Todo Poderoso. Foi Ele quem formulou o plano. Foi Ele quem forneceu o meio. É Ele quem chama e salva o pecador e através do seu Espirito quem nos mantém. Ele faz tudo sem nossa ajuda ou intervenção!

Os Prazeres e Desejos do simbólico Egito espiritual

Embora o povo de Deus tenham experimentado uma libertação tão grande da escravidão no Egito, Israel continuou a experimentar uma estranha atração e desejo de volta àquela terra de escravidão e morte. Eu vejo o mesmo desejo na vida de muitos crentes hoje em voltar aos prazeres do simbólico Egito espiritual. Embora tenhamos sido libertados, ainda há uma atração contínua para o mundo e suas paixões e prazeres.

No antigo Egito, o povo de Deus eram escravos, mas eles trabalhavam eram alimentados, estavam seguros e sabiam o que esperar. Faraó era um inimigo, mas até então não estava tentando matá-los, mas agora, Faraó persegue Israel e pretende matá-los! (Êxodo. 14:10-11) No Egito, os israelitas possuíam abundância de alimentos e água à disposição. No entanto, quando eles partiram para seguir a Deus, eles foram obrigados a viver uma vida pela fé. Confiando NEle para dar-lhes o que eles precisavam momento a momento.

O povo de Israel confiavam também nos deuses do Egito e alguns deles recorriam novamente a alguns deuses egípcios para os adorar. Seus novos deuses eram meramente os deuses do Egito. Eles desejavam as coisas que eles adoravam quando eram escravos. Queixaram-se das dificuldades do caminho e lembravam saudosistas da vida que levavam no Egito. Essas pessoas carnais até tiveram a audácia de falar contra o Deus que as libertou da escravidão! Eles o acusaram falsamente de odiá-los quando, de fato, tudo o que Ele fez foi para seu benefício!

Muitos dos filhos de Deus hoje, também sucumbem à atração do mundo quando eles se sentem incapazes de confiar no Senhor pela fé para todas necessidades. O caminho do mundo é mentir, roubar e trapacear, já o caminho de Deus é esperar por Ele em todas necessidades, (Sl 37:25; Fp. 4:19; Mt 6:33). Isso não atrai muitos e assim como foi com os israelitas é um choque para um novo crente quando ocorre a primeira batalha espiritual. Satanás, o antigo mestre, faz tudo o que estiver ao seu alcance para derrotar aqueles que estão empenhados em servir a Jesus, o novo Mestre. Às vezes, essas batalhas espirituais e os desejos da carne dominam o crente e ele ou ela deseja retornar ao simbólico Egito espiritual.

Quando olhamos para trás e para as coisas que ocuparam nossa mente no mundo, podemos começar a desejar essas coisas novamente. Talvez adorássemos dinheiro, poder, sexo, atenção, posses, etc. Os deuses do mundo podem ser como uma forte corda puxando nos de volta ao domínio do mundo. Mas nosso Deus nos ajudará a superar o forte apelo e poder do simbólico Egito espiritual.

A vida de fé é diferente! Na verdade nos os redimidos do Senhor nunca sabemos onde o caminho da vida nos guiará. Alguns dias, estamos entre pastagens verdejantes e águas tranquilas. Outros dias, através do vale da sombra e da morte. Mas, sempre Ele DEUS nos guiará e torna este caminho suportável. Quando desviamos nosso foco em Deus e perdemos de vista o Bom Pastor, ficaremos cansados e oprimidos e realmente muitas vezes desejamos a previsibilidade do mundo e seu modo de vida. É por isso que devemos sempre olhar para Jesus, autor e consumador da nossa fé. (Hebreus 12:2)

A Simbólica Morte para o Egito Espiritual
É sim, possível morrer para a influência do simbólico Egito espiritual em nossas vidas, e isto pode acontecer de duas maneiras. Essas duas maneiras são retratadas da seguinte forma nesta visão do Egito segundo a bíblia.

1 – A maioria dos israelitas morreram no deserto porque se recusaram a andar no plano de Deus e decidiram que o caminho deles era melhor, então Deus permitiu que eles vagassem pelo deserto até que todos eles estivessem morto! Durante 40 anos, eles vagaram pelo deserto, com saudades dos prazeres do Egito. Talvez tenham esquecido que eram escravos no Egito. Talvez estivessem esquecidos do chicote em suas costas. Talvez tenham esquecido o trabalho pesado e que não conquistavam nada para eles, exceto mais escravidão, mais trabalho e, no final a morte.

O que somente eles lembravam era da luxúria que existia no Egito! Mas, por este Egito está tão profundamente enraizado em seus corações, eles foram impedidos de entrar na terra prometida e morreram com o Egito em seus corações. Lamentavelmente muitas pessoas da família do Senhor estão na mesma forma triste em nossos dias. Eles estão tão apaixonados e saudosos pelo mundo que nunca conseguem superar esta atração ate morrerem na derrota, nunca tendo conhecido a verdadeira Paz do Espírito Santo.

2 – A Maioria dos israelitas morreram sem conhecer a Terra Prometida, apenas dois homens que deixaram o Egito já adultos foram autorizados por Deus a entrar na terra prometida e realmente conquistaram a vitória. Eles foram autorizados, porque eles olhavam para a frente em vez de olhar para trás. Eles queriam o que Deus tinha para eles, em vez do que aquilo que tinham deixado para trás. Eles morreram para o Egito. Eles queriam que o Deus tivesse de melhor para eles e receberam da mão do Senhor.

É interessante notar também que depois que Israel atravessou o Jordão e entrou na terra prometida, não se menciona mais qualquer desejo deles em voltar para o Egito. Assim como Josué e Calebe, a vitória sobre a atração do Egito é possível para você e para mim hoje no simbólico Egito espiritual. O caminho para conseguir isso é apresentado nas escrituras pelo apóstolo Paulo que diz: “…Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará…” (Filipenses 3:13-15).

Logo o segredo para superar o passado e o forte apelo e poder do simbólico Egito espiritual é esquecer o passado e prosseguir em alcançar as coisas que Deus tem para cada um de nós lá no futuro. Com a graça de Deus e com nossa fé nos podemos sim e devemos morrer para o Egito, mas isso nunca acontecerá até realmente queremos! O simbólico Egito espiritual sempre estará presente em nossa volta, mas depende de nós deixá-lo para trás; “…Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei…” (2 Coríntios 6:17).

Talvez muitos de nos hoje, se fôssemos mais honestos teríamos que admitir que temos muita em comum com a esposa de Ló. Ela era uma mulher tão cheia de seu Egito, Sodoma, em seu coração que morreu enterrada com ela, (Gênesis 19:26). Por que ela acabou assim? Porque ela estava olhando para o Egito. Que isto sirva-nos de exemplo! Talvez por isso que Jesus nos aconselhou dizendo: “Lembrai-vos da mulher de Ló”, (Lucas 17:32). Por outro lado, Ló seu marido nunca olhou para trás e foi salvo da morte. Então! Qual dos dois descreve melhor você hoje?
 

Continuar Lendo...

quarta-feira

Princípios Bíblicos da Vida Humana

19:22:00
Princípios para uma Visão Bíblica da Vida Humana | Rede Missionária Cristã

A Visão Bíblica da Vida Humana

disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou… (Gênesis 1:26,27)

O que a Bíblia diz sobre o valor do ser humano?

Nos últimos tempos, o debate sobre a vida e a morte tem sido o centro de grandes ONGs em defesa do aborto ou eutanásia. Infelizmente, estamos vivendo em um mundo onde a vida humana se tornou uma mercadoria barata e sem valor para muitas pessoas. Em alguns países tornou-se muito fácil a prática do aborto e mais fácil ainda descartar aqueles indivíduos que são vistos simplesmente como inúteis ou um peso para a sociedade moderna. 

Nos chamados Países Baixos, que tem uma política de eutanásia legalizada, apenas em 1990 houve 11.800 mortes por eutanásia. Representando 9% do total de mortes naquele ano. Em outras palavras, quase 1 de cada 10 pessoas que morreram na Holanda em 1990 morreu nas mãos de um médico, uma enfermeira ou mesmo por um membro da família através da eutanásia. Destas 11.800 mortes, cerca de 5.491 foram realizadas mesmo sem o consentimento do paciente! 
[fonte]

Hoje, através deste artigo eu quero lhe convidar para juntos examinarmos o que Deus tem a dizer sobre o real valor da vida humana. Eu particularmente, creio que a perspectiva divina deve ser bastante considerada enquanto pensamos ou falamos em assuntos tão sérios como o direito de viver, o direito de morrer, o aborto e a eutanásia. Na verdade, não só a perspectiva de Deus deve ser considerada, como sem dúvida nenhuma deve ser a última palavra nestes assuntos. Então, hoje, vamos examinar a vida a partir da perspectiva de Deus. Ou seja, vamos falar um pouco sobre a visão bíblica da vida humana.


Deus é Soberano na Criação da Vida

Sabemos que todo ser humano é um ser único e especial (Gênesis 1:26-28; 2:7). Uma das principais verdades que vêm desses versículos é o fato de que o homem é o produto do poder criativo de Deus e não o resultado de uma evolução aleatória. O homem não evoluiu de um organismo unicelular ao longo de milhões de anos; Ele é uma criação especial de Deus. Você notará também que todos os outros animais vieram a existência através da Palavra de Deus. O homem, no entanto, foi formado do pó da terra pelo próprio Deus.

Aqui está um dos maiores perigos em todo o sistema de evolução, como é ensinado na grande maioria das escolas. Se as pessoas puderem convencer-se de que a humanidade não é mais do que o produto da seleção aleatória, a vida humana perde todo o seu valor, se o homem simplesmente evoluiu, então ele não é diferente de qualquer outro animal. Você o mata e ele simplesmente deixa de existir. Logo se o homem não é mais do que um mero animal, ele pode ser eliminado se for necessário.

Aqueles que defendem essa visão das coisas, acreditam que o homem deva viver somente enquanto forem uteis, ou até que sua qualidade de vida se acabe, então ele pode “descansar de sua miséria”. Uma vez que começamos com esta inclinação escorregadia, não haverá como voltar para trás. Hoje, são os bebês indesejados, pessoas com deficiências cerebrais; amanhã, será a mental e física, bem como os velhos e os enfermos. E isto é exatamente para aonde o nosso mundo está caminhando com a quebra generalizada das previdências e seguros sociais, mundo afora.


Agora, se a teoria evolutiva estava correta; não haveria nenhum problema com essa visão. No entanto, é uma visão falsa da vida, da morte e da eternidade. Mas falaremos mais sobre este assunto logo adiante, por enquanto, precisamos lembrar que todo ser humano é um ser especial; Ele ou ela está aqui porque eles são a criação especial do próprio Deus!


A Vida Espiritual do Ser Humano

Sabemos também através da bíblia que todo ser humano é um ser espiritual e que o homem foi feito “…à imagem e semelhança de Deus…” Isso naturalmente não significa que o homem pareça com Deus fisicamente; ou que Deus tem um corpo como nós. Mas significa que o homem foi criado um ser tripartite. Na Divindade, existe o Pai, o Filho e o Espírito. Em um homem, há o corpo, a alma e o espírito. Deus é um ser de três partes; O homem é um ser de três partes. Deus tem inteligência, vontade e emoções, e igualmente também os tem a humanidade.

Esta é a principal maneira pela qual a humanidade pode ser distinguida dos membros do reino animal. Toda pessoa que entra neste mundo tem três partes. Eles têm um corpo, uma alma e um espírito. Tomemos apenas um momento para examinar cada uma dessas partes.


1 - O corpo – O corpo é somente o veículo com o qual nos movemos e interagimos com o mundo físico. É o corpo que fornece um lar para nossa alma e o espírito enquanto peregrinamos por este mundo. Tanto humanos como animais têm corpos. Quando morremos, nossos corpos retornam à terra, Gn 3:19; Ec 3:20; Jó 34:15.

2 - A Alma – A alma é o lugar da vontade, do caráter, do intelecto, dos pensamentos e das emoções. A alma é onde raciocinamos, amamos, odiamos, desejamos, etc. A alma é a que nos referimos quando falamos da mente. Sua alma anima seu corpo e permite que você interaja com o mundo e com as outras pessoas. Em suma, a alma é essa parte que faz de você quem você é. Sua alma faz você se sentir consciente, feliz, triste, etc. Há um sentido em que se pode dizer que os animais têm almas. Ou seja, eles têm vida dentro deles e eles são autoconscientes e capazes de interagir com o mundo ao seu redor.

3 - O Espírito – Aqui é onde as semelhanças entre o homem e os animais terminam para sempre. Enquanto a alma nos torna autoconscientes; o espírito nos permite ser conscientes de Deus. “…Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto…” (Tiago 2:26). Apos o pecado, todo homem que nasceu neste mundo nasceu morto espiritualmente, (Ef 2:1). Mas, quando o Espírito de Deus vem traz à vida novamente através de Cristo.
Quando deixamos este mundo, a alma e o espírito retornam a Deus para serem tratados de acordo com suas obras, Ec. 12:7. Aos redimidos à glória, João14:1-3. Ao perdido o castigo eterno, Sl 9:17; 2 Ts. 1: 8-9. O fato de que o homem é uma criação especial de Deus e que ele foi feito à imagem e semelhança de Deus, logo a sua capacidade de conhecer a Deus prova que o homem é uma criatura especial aos olhos do Senhor. Isto estabelece o fato de que Deus é soberano sobre a criação da vida humana.

Deus é Soberano na Iniciação da Vida

É Deus quem determina o iniciar da vida; É Deus o responsável por quando a vida é criada dentro do útero. Observe alguns exemplos disso na Bíblia: Lia; Gn 29:31; Rebeca Gn. 25:21; Raquel Ge 30:12, 22; Manoá e sua esposa Jz 13:2-3; Ana 1 Sm 1-2. Naturalmente quando pensamos em um parto, pensamos que seja apenas o produto da união física entre um homem e uma mulher. Mas na realidade é muito mais do que isso! Existe um Deus soberano nos bastidores que determina se o óvulo é ou não fertilizado. Ele determina se a vida inicia ou não, SL 128:3-5.

É claro e evidente que todos nos sabemos que a sim, o relacionamento físico envolvido. Ainda assim, por trás disso tudo é a vontade soberana de Deus que impera. Ele abre o útero e Ele fecha o útero de acordo com Sua vontade. Ou seja, é Ele quem determina segundo a sua vontade a iniciação de toda a vida humana.

Além do aspecto mencionado acima, Deus também pode determina o destino da vida de uma pessoa. Não só Deus tem o poder de determina se haverá ou não a vida; Como também Ele pode determina o que esta vida se tornará. Ele pode estabelecer de antemão um plano para o ser humano que vem para o mundo. Em Jeremias 1:5, lemos que Deus de antemão determinou um plano para a vida do profeta antes mesmo de ele nascer. O mesmo aconteceu na vida de João Batista, Lucas 1: 13-17; 44.

Logo enfatizo novamente que o fato de você ou eu estarmos nesta vida não é somente produto de uma mera chance aleatória e geneticamente infeliz. O que somos nesta vida é o produto da soberania divina. Nós somos o que somos porque Deus assim determinou. Esta foi a convicção de Davi, e também a mesma visão que manteve Jó, (Salmo 139: 13-16. Jó 10: 9-12). Mesmo a ciência moderna, que tão ferozmente tenta desconstruir a Deus, confirma que não podemos ser produto de uma mera chance. Observe por exemplo esses fatos sobre seu corpo:

1 - O corpo médio contém cerca de 7,5 trilhões de células. É muito mais complexo do que o computador mais avançado.

2 - Cada célula possui 200 trilhões de pequenos grupos de átomos, chamados moléculas de proteínas.


3 - A molécula maior é chamada de DNA. Realiza informações hereditárias dos pais para os filhos. Também transporta o código genético. Ele determina se você será um homem ou um mamute.


4 - Sabe-se que o genoma humano tem cerca de 6 mil milhões de pares de base de comprimentos. Cada par de base tem 3,4×10^-10 m de comprimento (3,4 Angstrom). Portanto, cada célula terá cerca de 2 m de DNA. Multiplicando pelo número de células do corpo humano (1×10^13), obtemos o valor de 2×10^10 km. Dividindo pelo dobro da distância ao Sol (ida e volta), concluímos que temos DNA suficiente para ir e vir ao Sol… 66,8 vezes. [fonte]


5 - Todas as nossas células contém as informações encontradas em todas as outras células. Cada célula em seu corpo carrega toda a informação necessária sobre você.


O que eu estou tentando defender é o fato de que todo ser humano concebido no útero é especial! Toda pessoa é concebida com um propósito. Toda vida humana é preciosa e nenhuma deve ser descartada de antemão. A vida deve ser protegida e preservada a todo custo! O pequeno feto no ventre de qualquer mãe é precioso! Essa pessoa mesmo diagnosticada mentalmente incapacitada é preciosa! Esse indivíduo gravemente doente é precioso! Independentemente da sua condição, toda vida humana é preciosa para Deus e deve ser defendida daqueles que as vejam como algo que pode ser jogada fora!

Deus é Soberano Sobre o Final da Vida

Assim como o Senhor Deus Todo Poderoso é soberano na Criação e na iniciação da vida humana; Ele também é soberano no final ou Conclusão da vida. Nem o mais sábio homem ou mesmo Satanás tem poder sobre a vida humana fora da vontade soberana de Deus. E, tampouco tem o direito de tomar a decisão de acabar com qualquer vida humana. Veja um breve relato do que a Bíblia diz sobre esse assunto.

É Deus quem determina o tempo da morte do homem, este é o claro ensinamento da Escrituras. Há evidências claras disto tanto no Antigo como no Novo Testamento, em Dn. 5:1-13 por exemplo, Beltessazar foi informado quando ele morreria. Em Lucas 12:16-20 no Novo Testamento, Jesus disse uma parábola que ilustra bem essa verdade. Assim como o Senhor tem um plano para o início e o meio de toda a vida humana; Ele tem um plano para o final dela também. Ele sabe o dia, a hora, o minuto, e mesmo o segundo quando alguém deixará de respirar e partirá para a eternidade.

É Deus quem determina também os termos da morte do homem, Deus não só decide quando morreremos; Ele também determina onde vamos respirar nosso último folego. Independentemente de como nos deixaremos este mundo, deixaremos exatamente quando, onde e como o Senhor predeterminou. Um exemplo disso foi que segundo a sua vontade Moisés morresse sozinho em uma montanha, Dt. 34:5-8. Também foi a vontade de Deus que Jacó partisse rodeado por seus filhos, Gn. 49:33, e que Paulo morreria nas mãos dos carrascos romanos.

Às vezes, as pessoas passam por tragédias. Às vezes as pessoas morrem por causa de doença. Às vezes, eles saem daqui por meio da velhice. Às vezes eles vão de repente ainda na juventude. No entanto, elas deixam este mundo, não segundo a vontade dos homens. Note que quando isto acontece por assassinato, suicídio, eutanásia ou aborto, o homem aqui assumiu o lugar de Deus em tomar a vida de outro ser humano. Cada um desses horríveis pecados que acaba prematuramente com a vida de alguém, será julgada e punido duramente por Deus.

Agora, não entenda mal. Há sim momentos em que é necessário paralisar um determinado tratamento médico em casos onde não surta mais efeito e apenas permitir que a natureza siga seu curso. Neste caso não comete-se assassinato, mas simplesmente colocou o assunto nas mãos de Deus. No entanto, colocar uma pessoa indefesa a morte é assassinato! Os tribunais humanos falham, mas isto será um dia julgado em um tribunal superior.


Conclusão: Bem, depois disso tudo espero que você leitor possa concordar comigo que a vida humana é muito preciosa! É tão precioso que por este motivo exclusivo Deus enviou Seu Filho unigênito Jesus Cristo a este mundo, para salvar preciosas vidas através da Sua morte na cruz, (João 3:16-17). Portanto precisamos orar não somente pela nossa nação, mas também por este mundo.

Infelizmente nós como humanidade já demos os primeiros passos por um declive escorregadio que nos levará cada vez mais longe de Deus. Nossa geração já testemunha o início de uma jornada onde ninguém estará a salvo dos comerciantes da morte. Precisamos urgentemente como cristãos assumir nossa posição, em elevar nossas vozes em favor da vida. Não só podemos fazer a diferença, como também devemos fazer esta diferença! “…Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz…” (Efésios 5:8) “…E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreendem…” (João 1:5) “…Mas todas estas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta…” (Efésios 5:13)

Deus claramente diz que >a vida é preciosa. Eu digo “Amém!” E me pergunto: Quem se juntará a mim no trono da graça para invocar o Senhor em intercessão para a nossa nação, o nosso mundo e pelas pessoas indefesas e sem voz que enfrentam diariamente ameaças de morte em nome da conveniência e do dinheiro, por pessoas indiferentes as escrituras e a soberania de Deus…
 

Continuar Lendo...

segunda-feira

Estudo e Leitura da Bíblia em Vídeos - Livro de Levítico Sacrifícios de sangue e o comportamento homossexual

17:55:00

<< Série - Estudos da Bíblia online >>


╚══❘► Pedidos de Oração e Palavras de conforto <Clique Oração>

Os sacrifícios no grande dia da expiação.

Este ritual, sem duvida retratava todas as etapas que deveriam ser cumpridas antes que a humanidade pudesse realmente ser uma com Deus. Em suma, deveria ocorrer o seguinte: O sumo sacerdote deveria ser purificado de seus pecados para mediar entre Deus e o homem (vers 4). Logo Cristo , tendo vivido uma vida sem pecado, é o nosso eterno Sumo Sacerdote. O sumo sacerdote deveria entrar na presença de Deus com o sangue do novilho para assim abrir o caminho entre Deus e o homem (versículos 3, 14-16). Cristo, pelo Seu próprio sacrifício, nós garante esta entrada diante do trono de Deus, tendo Ele mesmo rasgado o véu de separação. ''...E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados;...'' (Mateus 27:51). E como os pecados deveriam ser cobertos pela oferta de uma vítima inocente (versículos 9, 15). Então o sangue de Cristo a vitima inocente, não somente cobre os nossos pecados, mas também nos justifica e nos purifica diante de Deus nos concedendo o perdão. Sem entrar em mais detalhes, podemos claramente notar que estes sacrifícios era para ser um estatuto perpetuo, pois enquanto estamos pecando, precisamos continuamente de expiação. Logo a repetição dos sacrifícios, mostrou que neles havia um débil esforço para expiação, algo que só poderia ser feito eficazmente e de uma vez por todas, somente através da oferta do corpo de Cristo. Aqui são tipificados os dois grandes privilégios do evangelho, a remissão dos pecados, e o acesso a Deus, os quais devemos a nosso Senhor Jesus Cristo. Cristo é o Criador e o assunto da expiação, porque ele é o Sacerdote, o Sumo Sacerdote, que faz propiciação pelos pecados do povo. E como Cristo é o cordeiro, então Ele próprio é o sacrifício com o qual é feita a expiação, pois ele é tudo em todos em nossa reconciliação com Deus. Assim, Cristo, é o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, (João 1:29). Pela expiação em Cristo, obtemos descanso para as nossas almas, e todas as liberdades da glória dos filhos de Deus.

Obs: ''O primeiro bode era morto e o seu sangue, derramado (Lv 16.15), representava a morte substitutiva de Cristo e o derramamento do Seu sangue por nossos pecados. O sumo sacerdote tinha então de tomar o bode emissário, confessar os pecados de Israel sobre a cabeça daquele bode, e enviá-lo para o deserto. Isso representava o efeito de levar embora, para sempre, os pecados de Israel, e simbolizava a obra de Cristo, que era levar para sempre os nossos pecados, como Isaías profetizou: “...Mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos...” (Is 53.6). Os vários aspectos da obra de Cristo na redenção são simbolizados pelo que os dois animais desempenhavam no Dia da Expiação, cada um como seu papel'' (Norman Geisler).

A santidade do sangue nos sacrifícios

Há duas áreas da vida que foram cuidadosamente regulamentadas para Israel, seu comportamento em relação ao sangue e seu comportamento em relação ao sexo. No capítulo 17 o mistério do sangue é colocada claramente diante de nós e o capítulo 18 fala sobre o mistério do sexo. Então primeiramente, vamos examinar o comportamento exigido do povo de Israel com relação ao sangue. A primeira exigência foi que todo o sangue deveria ser oferecido ao Senhor; Se alguém matasse um animal doméstico o mesmo tinha que ser levado e oferecido como uma oferta de paz com Deus, e o sangue deveria ser derramado e coletado em uma bacia. Mas o que Deus está tentando transmitir com este tipo de exigência? Qual é a lição que ele tinha para essas pessoas que ainda se aplica a nós? Sem duvida nenhuma qualquer cristão esclarecido sabe que nos hoje não temos que seguir a letra estes regulamentos, mas que temos que observar e obedecer os princípios que estão neles envolvidos.

A razão para isto nos é dada nos versos 5-7 que diz: "...Para que os filhos de Israel, trazendo os seus sacrifícios, que oferecem sobre a face do campo, os tragam ao Senhor, à porta da tenda da congregação, ao sacerdote, e os ofereçam por sacrifícios pacíficos ao Senhor. E o sacerdote espargirá o sangue sobre o altar do Senhor, à porta da tenda da congregação, e queimará a gordura por cheiro suave ao Senhor. E nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos demônios, após os quais eles se prostituem; isto ser-lhes-á por estatuto perpétuo nas suas gerações...". Ou seja o objetivo de toda essa exigência é ensinar que toda a vida pertence a Deus e que só ele é capaz de lidar com ela corretamente. Só Deus entende vida. Essa é a base para todo o comportamento adequado. Devemos entender que não somente a nossa vida, mas também todas as outras em nossa volta pertence a Deus, até mesmo a vida animal. Esta é a verdade que Deus procura transmitir. Deus está ensinando ao seu povo que eles não devem tentar aplacar os espíritos, com sacrifícios de tolos como as nações que os cercavam, como se o homem pudesse manipular o mundo espiritual invisível e comandar a vida de acordo com seus próprios desejos.

É impressionante como em nossos dias, está cada vez mais na moda o surgimento de novos cultos e interesse pelo ocultismo, astrologia, sacrifícios a entidades e mesmo o satanismo. Tudo isso é motivado pelo desejo das pessoas em querer manipular e controlar o destino da vida por si mesmo. Mas isso não é o que Deus quer, não podemos lidar com a vida por nós mesmos. Isto é reflexo de uma mentira antiga e generalizada, tanto em culturas primitivas como em nações civilizadas como a nossa, querendo dar a ideia de que o homem é de alguma forma capaz de lidar com a vida por si mesmo. Em nossos dias estamos testemunhando um renascimento desta mentira antiga, que as pessoas mesmo sabendo haver poderes maiores dizem pode controlá-los, pode manipulá-los e fazê-los trabalhar por seus interesses materialistas e mundanos. No entanto Deus é soberano e devemos reconhecer que só ele pode controla a nossa vida. Vivemos em seu universo, e não podemos lidar com a vida por nós mesmos. Portanto, a verdade fundamental é que devemos primeiro reconhecer que a vida pertence a Deus, a nossa própria vida e a vida de todos as outras pessoas, inclusive as dos animais. ''...Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?...'' (Lucas 12:25 NVI).

O segundo requisito a respeito do sangue era que ninguém estava autorizado a comer. (Cp 17 Versos 10-14). Deus está ensinando ao seu povo que o sangue tem algo de misterioso e sagrado, alias o sangue é a própria vida. Só muito recentemente é que a ciência médica moderna entendeu esta grande verdade. Durante séculos as pessoas inclusive a medicina não considerava o sangue tão importante para a vida, mesmo em tempos relativamente recentes na tentativa de curar algumas doenças a sangria era uma prática comum. Mas é o sangue que dá vida e Deus tem procurado ensinar esta verdade, restringindo o seu povo de comê-lo.

Então, o que dizer das palavras de Jesus registradas no capítulo seis do evangelho de João. Onde Jesus está se referindo a si mesmo, como o pão da vida, o alimento enviado por Deus do céu, dizendo aos seus discípulos ''...Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele..." (João 6:53-56). A grande realidade é que "a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo" (Gálatas 3:24). Logo, estes requisitos do Antigo Testamento eram apenas um dispositivo de preparação, ou seja: recursos visuais, projetado por Deus para preparar o povo para a proclamação da verdade dos lábios de Jesus. E se eles tivessem entendido isso, como Deus tinha tão cuidadosamente e pacientemente instruído-os através dos séculos, eles teriam recebido estas palavras de Jesus com alegria. Mas como eles não entenderam este princípio, então podemos imaginar, que diante deste ensinamento em Levítico, como foram ofensivas essas palavras de Jesus para aquele povo que havia sido ensinados que era uma abominação comer sangue. E agora vem Jesus que diz: "A menos que vocês comam da minha carne e bebam do meu sangue, não tereis a vida em vós" Até mesmo alguns de seus discípulos ficaram ofendidos com isso. Como podemos ler: "...Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos digo são espírito e vida..." (João 6:60-63).

Então o que Jesus Cristo queria dizer com isto? Bem, sabemos que o sangue é a vida, e nosso Senhor agora estava ensinando a grande verdade para a qual todas essas restrições apontavam. Se comermos o sangue de um animal, Deus está dizendo, que estaríamos participando da vida de uma criação caída. Devemos nos lembrar que não foi só o homem que caiu no jardim, mas toda a natureza caiu com ele, e logo todo o mundo natural está ligada ao homem. Em sua carta aos Romanos, Paulo argumenta que a natureza está sujeita a ira por causa da queda do homem. (Romanos 8:19-23). E Cristo está pacientemente tentando ensinar-nos que não devemos mais depender da "carne", a velha vida, o velho método de funcionamento, que vivíamos antes de nos tornarmos cristãos, e tão pouco do velho sistema de sacrifícios constantes de animais. Ou seja Deus agora proporcionou uma nova vida, a vida de Cristo, concedida a nós da parte de Deus, o cordeiro de Deus, vindo de Deus. Portanto, aquele que come desta vida, e bebe deste sangue, como disse o próprio Jesus, ''este tem a vida eterna".

Sacrifícios carnais, sexuais e o homossexualismo

Por causa da iniquidade do homem, a lei universal e imparcial de Deus muitas vezes entrou em vigor na historia da humanidade. E não será diferente em nossos dias, afinal Deus é imutável, e logo descerá sobre as nações como prediz a sua palavra. É apenas uma questão de tempo. Quando uma nação desce a perversões, como a homossexualidade, o seu declínio se acelera, seus alicerces se enfraquecem, e torna-se maduro para o desastre. Se a liderança de uma nação participa dessas perversões, a imoralidade se espalha como um câncer entre as pessoas, acelerando o colapso. Os líderes, já pervertido, tomar decisões imorais e imprudentes na direção do país e as condições pioram (Romanos 1:26-32 ; II Timóteo 3:13).

Sabendo da eminente volta de Cristo e da destruição que se aproxima desta terra, nos como cristãos temos a responsabilidade de mesmo "...suspirando e chorando por todas estas abominações..." (Ezequiel 9:4), anunciar o evangelho de Cristo mesmo sob pressão de ONGS, governos ou qualquer força que se oponham a verdade. E ao mesmo tempo cuidando para não cair (1 Coríntios 10:12) preparando-se para o momento em que Cristo irá governar esta terra com justiça e santidade (Apocalipse 5:10; I Pedro 2:9; I Coríntios 6:2-3).

Este é o sacrifício dos cristãos, amar até mesmo os que nos perseguem


sacrifício,homossexualismo,levíticos,sacrifícios de animais,sacrifício de Cristo

Estudo Bíblico
Rede Missionária Cristã: Em busca da excelência espiritual.
Estudos bíblicos, Reflexões bíblicas, filmes gospel, teologia pastoral, bacharel em teologia, teologia on line, teologia gratis online, estudos bíblicos evangélicos... ═❘► Inscreva-se ☜═

anterior inicio proxima Image Map



Continuar Lendo...

quarta-feira

"Não cobiçaras" - Os dez mandamentos

19:35:00

<< Série - Os Dez (10) Mandamentos >>

10º Mandamento

"...Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo..." Êxodo 20:17

╚══❘► Pedidos de Oração e Palavras de conforto <Clique Oração>

Decimo mandamento - Não cobiçaras

Hoje chegamos ao último dos dez (10) Mandamentos. Nestas Leis de Deus esta contido todo o sentido espiritual que rege a vida na terra, nestes mandamentos vemos que Deus tem um alto padrão de santidade e que Ele espera que Seu povo se esforce em busca desta mesma santidade. Portanto analise cada um destes mandamentos, e caso veja alguma área em sua vida que necessite de alguma correção, faça o mais rápido possível o que for necessário para mudar e entrar em sintonia com a Palavra de Deus.

Quando olhamos para o 10º Mandamento, a primeira característica que podemos notar é que este mandamento representa uma ação e origem no coração ou na mente do ser humano. Em todos os outros mandamentos encontra-se algum tipo de atividade física ou verbal. Este mandamento no entanto é diferente! Embora não haja evidência física ou verbal, como há na mentira, no roubo, adultério, homicídio, desobediência aos pais, uso do nome de Deus em vão, confecção de imagens de escultura, violação do descanso ou no uso de falsos deuses. Na cobiça porém, há muito pouca ou mesmo nenhuma evidência física ou verbal por parte do cobiçante, como resultado disso, este é um pecado que raramente as pessoas confessam a Deus. Na verdade, se fossemos realmente honestos, teríamos que admitir que alguma vez na vida já tivemos um desejo avarento e cobiçoso.

Exemplos bíblicos da cobiça e suas consequências

Não se pode ler a Bíblia sem encontrar incidência após a incidência de homens e mulheres que desejaram o que não era seu. No Jardim do Éden, Eva cobiçou o fruto proibido e a consequência disso foi a introdução do pecado e a morte no mundo (Gênesis 3:6). Em Ai, Acã cobiçoso de ouro, prata e roupas caras, trouxe a derrota a nação de Israel e a morte para si e toda a sua família (Josué 7:19-21). Semelhantemente Geazi, servo de Eliseu por dois talentos de prata e duas mudas de roupas; trouxe a lepra para sua vida e de toda sua descendência (2 Reis 5:20-27). Acabe cobiçando a vinha de Nabote acabou provocando consequências desastrosas a todo Israel (1 Reis 21). Davi cobiçando Bate-Seba, esposa de Urias, trouxe a espada a sua casa, família e geração (2 Samuel 12). Judas Iscariote motivada por um coração avarento traiu a Cristo trazendo a morte sobre si mesmo (Mateus 26:14-16). Ananias e Safira tomados de avareza, mentiram ao Espírito Santo, pagando caro pelo seu desejo materialista (Atos 5:1).

A cobiça foi, e continua sendo um grande problema para a vida espiritual dos homens em toda a historia deste mundo. Nestes últimos dias mesmo entre aqueles que se dizem cristãos, a pessoas que ainda querem o que não é deles. Muitos instruídos pelos mercadores da fé e o falso evangelho materialista, são induzidos a cobiça gospel. Estes pseudos 'pastores', 'bispos', 'apóstolos' e 'missionários', tendo o único interesse em recolher dízimos, trízimos, e ofertas especiais usando todo tipo de quinquilharias 'ungidas', dão interpretações equivocadas e tendenciosas sobre diversas passagens Bíblicas tais como a de Josué 1:3 e Deuteronômio 11:24; E assim induzido centenas de pessoas que também tem seu coração cheio de desejos financeiros e materialistas, a revindicar; e PASMEM! Até mesmo exigir de Deus! bens matérias e posses que muitas vezes pertencem a outros, esquecendo-se totalmente das palavras de Jesus Cristo que disse: ''...Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer pessoa não consiste na abundância do que possui...'' (Lucas 12:15). ''...Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração...'' (Mateus 6:19-21).

Cobiça! Um poço sem fundo...

Quando uma pessoa se entrega à cobiça, e é possuído pelo calor avarento, nunca estará satisfeito com o que tem, haverá sempre um poderoso impulso para sempre querer mais. É interessante notar que segundo alguns dicionários a palavra cobiçar significa: O desejo imoderado e inconfessável de possuir 'o que, geralmente, não se merece'. (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa). Ou seja; a cobiça geralmente se refere a um objeto que pertence a outra pessoa. Portanto quando somos fisgados pela avareza, somos culpados de ter um coração para as coisas em vez de um coração para Deus. ''...Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração...'' (Mateus 6:21). ''...Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra...'' (Colossenses 3:1-2). Quando chegamos ao lugar onde nunca estamos satisfeitos com as bênçãos de Deus e estamos sempre procurando uma maneira de aumentar as nossas posses, então devemos enfrentar o fato de que somos simplesmente gananciosos.

"...Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo..." (Êxodo 20:17). De acordo com o 10º mandamento, um coração cobiçoso é aquele que deseja coisas que não são suas. Este versículo diz que os homens podem cobiçar bens materiais, pessoas e posses em geral. Quando uma pessoa chega a condição de fazer qualquer sacrifício para ter o que pertence a outro, então infelizmente esta pessoa cruzou a linha da racionalidade e torna-se culpada de pecado perante o Deus. ''...Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação...'' (1 Timóteo 6:7-9). Veja o vídeo.

Observações importantes entre cobiça e prosperidade

O que Deus esta dizendo aqui, como também na passagem de 1 Timóteo 6; não é que seja errado comprar a casa ou qualquer outro bem do seu próximo, Deus não é contra a prosperidade do ser humano, o que Deus esta dizendo é que é errado o desejo desnecessário, invejoso, que leva muitas pessoas até a usar meios ilegais para adquirir um bem alheio, chegando a recorrer a táticas antiéticas para obter certa propriedade, tornando-se então culpados de cobiça e roubo. Da mesma forma quando o versículo menciona sobre a mulher do meu próximo, isto não quer dizer que não podemos considerar que uma mulher é bonita ou formosa. Isto não é errado, torna-se pecado somente quando passamos a ter um desejo sensual de possuí-la, então somos culpado de adultério e de cobiça. Da mesma forma ocorre quando uma mulher deseja o marido de outra mulher.

Entre os itens listados aqui estão, casa, companheiro(a), servos e animais, mas é claro que em nossos dias a lista pode tornar-se centenas de vezes maior, podemos acrescentar aqui um celular, um carro, apartamento, relógio, tênis, roupas de grife, etc, etc, etc; ou seja tudo o que pertence ao meu próximo. Muitas pessoas tiveram suas vidas totalmente destruídas pelo coração cobiçoso de outro, deixando bem claro que um espírito avarento é mau e pecaminoso diante do Senhor! Talvez seja por isso que o Senhor deu tais avisos claros contra sua influência em nossa vida (Lucas 12:15; Salmo 10:3, Marcos 7:21-22).

A cobiça ignora a lei de Deus e nega o Senhor

Quando estamos constantemente indo atrás daquilo que não temos, estamos simplesmente dizendo ao Senhor que não se podemos confiar Nele. Ele nos prometeu em Sua Palavra que supriria todas as nossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus (Filipenses 4:19). Portanto, quando recusamos a nos contentar com o que já temos, estamos dizendo que Deus não fez o suficiente e que não podemos confiar Nele para atender as nossas necessidades! Quando esquecemos que Ele é o provedor e começar a pensar que a aquisição de bens depende somente de nós, então nós já passamos da fé a cobiça e somos culpados de pecado! O plano de Deus para nossa vida sobre a aquisição de bens materiais e prosperidade financeira é bem clara nas palavras de Jesus Cristo encontrada em (Mateus 6:19-34). Veja o vídeo.

Mas infelizmente muitos tomado pela ganância, acabam por perder o que já tem! Quando um coração cobiçoso passa a dominar nossa vida, vamos nos tornar escravos das coisas que desejamos. Quando isso acontece, colocamos o Senhor em segundo plano, perdendo assim o bem mais precioso que podemos ter.
Como já dissemos não há nada de errado em possuir as coisas, mas caímos em pecado, quando as coisas começa a nós possuir!
Quando permitimos que as coisas substituam a Deus em nossa vida, então somos culpados de idolatria (Colossenses 3:5-6). Isso não significa que não devemos buscar o prazer da vida. As Escrituras não dizem que o lucro é errado em si mesmo. Mas o problema é viver somente atras de um salário maior, ou a melhor casa do bairro, o melhor carro, as melhores férias, etc; e não satisfazer as necessidades mais profundas do nosso coração. As vezes parece que a felicidade e satisfação aumenta à medida que ganhamos mais e mais bens, mas não é assim que funciona, na verdade quando se possui um coração avarento, com toda certeza o nível de devoção a Jesus Cristo irá sofrer. Nós nunca poderemos ser fiéis ao Senhor enquanto somos consumidos por outras coisas na vida. ''...Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom [dinheiro]. E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele...'' (Lucas 16:10-14). Jesus deve preencher totalmente a nossa vida! Somente desta forma teremos o verdadeiro equilíbrio.

Conclusão: Quando se trata de possuir coisas, muitos vezes somos como a empregada de uma determinado homem rico. Um dia, enquanto ele descia as escadas, ouviu a empregada dizendo: "Oh, meu Deus se hoje eu tivesse pelo menos 10 reais, eu ficaria muito contente". Querendo observar o que iria acontecer, ele puxou 10 reais de sua carteira e ao passar por ela a entregou. Ela balbuciou um agradecimento e o homem saiu. Pouco antes de se afastar completamente, ele a ouviu murmurar em desgosto: "Poxa vida, por que eu não pedi 20 reais?"

Nosso maior problema não é se possuímos pouco, nem se possuímos muito. Nosso maior problema é que sempre queremos mais do que precisamos. Epicuro de Samos um filósofo grego (341 - 270 a.C.) escreveu: "Se você quiser fazer um homem feliz, não acrescente às suas posses, mas tire o seus desejos".

estudos+bíblicos+evangélicos-os dez mandamentos

10º Mandamento
teologia online e teologia online gratis
Rede Missionária Cristã: Em busca da excelência espiritual.
Estudos bíblicos, Reflexões bíblicas, filmes gospel, teologia pastoral, bacharel em teologia, teologia on line, teologia gratis online, estudos bíblicos evangélicos... ═❘► Inscreva-se ☜═

Continuar Lendo...

Ad final do artigo

Curso de Teclado